Saúde também é preocupação constante da deputada

O SUS enfrenta muitas carências nos mais diversos setores da atenção à saúde. A falta de medicamentos, principalmente os de alto custo, é um deles e precisa ser corrigido. São produtos destinados a condições de alta gravidade, que podem representar riscos elevados à vida do paciente. A interrupção no tratamento com determinados fármacos pode resultar no óbito do indivíduo e precisaria ser evitado a todo custo.

Renata Abreu tem uma ótima proposta para solucionar isso: na falta desses medicamentos nas farmácias públicas, o SUS será obrigado a comprá-los nas farmácias privadas ou ressarcir o paciente, caso este tenha adquirido os remédios com recursos próprios.

Ela também propõe incentivo fiscal a hospitais e clínicas privados que prestam serviços de hemodiálise a pacientes do SUS. “Os corriqueiros atrasos no repasse da verba federal aos conveniados ameaçam a sobrevivência dessas entidades e, por consequência, também a de seus pacientes, que representam 85% dos atendimentos em hemodiálise no País, segundo números do Ministério da Saúde”, explica a deputada.

“O incentivo fiscal seria um alívio a essas empresas, ainda que pequeno, por meio da redução da carga tributária relativa. Ajudaríamos principalmente o paciente, já que o SUS não tem capacidade para absorver totalmente as 130 mil pessoas que dependem do sistema público para fazer hemodiálise e viver.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *